12 de dezembro de 2017 às 00:00
Rogo white

Peço perdão aos pretos
Aos pretos peço perdão
Pelo que fizemos aqui
Dentro do seu coração
Peço perdão aos pretos
Aos pretos peço perdão
Pela porta do Nunca mais
E um mar de lágrimas

Pelo quarto de engorda
Pela sala de pesagem
Pelos grilhões e açoites
Pelos mortos na pilhagem
Pela vergonha do tráfico
Pela dor da humilhação
Pelos senhores de engenho
E por Dom Sebastião
Pelos capitães-do-mato
Pelos feitores cruéis
Pelos moleques de quarto
Por estupros nos quartéis

Peço perdão aos pretos
Aos pretos peço perdão
Pelo que fizemos aqui
Dentro do seu coração
Peço perdão aos pretos
Aos pretos peço perdão
Também por negros negreiros
Algozes e zombeteiros

Pelo canto da chibata
Pelo couro dos negrinhos
Pelo banzo que desata
Pelo horror do pelourinho
Pelos enterrados vivos
Sob pedras fundações
Por casas-grandes senzalas
Que resistem nas prisões
Pelo ouro e pela cana
Pelas peças de escravos
Por convertermos em avos
O valor da vida humana

Peço perdão aos pretos
Mãe África peço perdão
E aos negros agradeço
O que nos deram de bom
"Pizindim Pizindin Pizindin
Era assim que a vovó
Pixinguinha chamava..."
Peço perdão aos pretos
Mãe África peço perdão
Sua benção reconheço
Na risada do coração

© CIA DO AR. AÇÕES EM CULTURA 2018  |   DESENVOLVIDO POR CRIWEB  |   PROGRAMADOR LED LEMOS  |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE