01 de janeiro de 2018 às 00:00
O médico e o tempo

 


Desde a noite dos tempos
Convive o homem com seus males
Dores do corpo e da alma

Com tudo que já sabemos
Com tudo e tanto que fizemos
Contudo, sofre o homem
Entre esperanças e agonias

Entre aldeias, cidades
Encontro minha humanidade
O alívio, é minha verdade
O amparo, a redenção

Quero a saúde, enfrento a doença
Sou simplesmente o doutor
Não o senhor da sentença...

A mim, só me resta insistir:
Recolho a melancolia
Enquanto espalho o porvir...

© CIA DO AR. AÇÕES EM CULTURA 2018  |   DESENVOLVIDO POR CRIWEB  |   PROGRAMADOR LED LEMOS  |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE