A afasia do outro
O outro (sendo o outro o eu do lado de lá do espelho), neste início de século, via de regra dispensa interesse por relacionamentos aprofundados ou de construção meticulosa. Ler, por exem... Ver mais
0
Só se modifica o que se ama.
0
Foi assim

É como tirar o cavalo
E mandar cavalgar

É como retirar o assento
E mandar sentar

É como tirar o coração
E mandar sentir<... Ver mais

0
O ruminante exercício
Escrevo para saber porque escrevo e escrevo já há tanto tempo, sem qualquer justificativa plausível, senão um chamado interior - longínquo, profundo - que creio mesmo, e cada vez ma... Ver mais
0
É muito difícil ter intimidade comigo; eu mesmo não tenho... E quem tem, me causa espanto!
0
Moça branca de Kiev

Moça branca de Kiev
Viver é como dançar
Uma longa outra breve
Um pé no chão dois no ar
Um pé no chão dois no arVer mais

0
Palhaçadas, Tom & Theo e... Beckett?!
Revi, no final de agosto, a peça "Palhaçadas", do catarinense João Siqueira, em montagem de Julio Cesar Cavalcanti, vinte e oito anos depois de ter assistido ... Ver mais
0
Frustração, decepção e rejeição são grandes mestras do crescimento pessoal.
0
Miríades

Ser assim como sou
Esquecido de mim
Sempre achando que a vida enfim
Vai vai vai vai mudar
Vai tudo vai rolar
Mesmo a dor tem um fim
Eu preciso aprender a perder
... Ver mais

0
Ao fim do romance
Cada qual tem sua própria demanda de compreensão para dar conta das circunstâncias de sua vida, uns resolvem-se com menos, outros com mais. Alguns precisam que a situação se repita mil v... Ver mais
0
É da natureza deste planeta uma combinação deletéria de beleza e dor.
0
Miranda velho

saudade de ti, meu velho!
te amei com o coração de um homem
como a homem algum logrei amar nem tanto pude
assino para além de teu próprio nome
o... Ver mais

0
A rosa púrpura do envolvimento
O Brasil tem o dom do ridículo, somos muitas vezes ridículos e achamos que estamos, como se dizia, abafando! Somos ridículos, por exemplo, ao copiar os piores hábitos e cost... Ver mais
0
A diferença básica entre um microscópio e um telescópio é que, no segundo caso, nós estamos na lâmina.
0
Ai, filha minha

Ai, filha minha
Que dor
Que dó
Que dá
Procurar por você
Onde você não está

0
Da personagem à persona
Manoel Carlos, teledramaturgo, em entrevista ao jornalista Roberto DÁvilla, ao abordar o falecimento do ator Jardel Filho durante uma telenovela de sua autoria, Sol de verão, de 1986... Ver mais
0
Celebra-se Satã na indiferença das grandes cidades.
0
Nada além do sol

Não faça nada por mim
Não faça nada por nós
Sigamos juntos os dois
Do modo mais natural
Nada além do sol
Nada além... Ver mais

0
Para uma fenomenologia da palavra (I)
Será preciso continuar acreditando no poder da palavra para ser um escritor. Eu, porém, não sou um escritor - ora bolas! - no sentido de que não sustento, financeirame... Ver mais
0
A ignorância pode ser uma benção à medida que nos protege da própria arrogância, mas será sempre presa fácil do mal. Prefiro enfrentar minha arrogância.
0
A chave

fechou o meu coração
e fugiu com a chave na mão
Titita malvada
Titita levada
depois me telefonou
chorando, pedindo perdão
Titita bacanaVer mais

0
O mito
Comprometer-se com a investigação do sentido humano é algo doloroso, que descarna os sonhos de suas ilusões rudimentares, muita vez sem oferecer qualquer contrapartida senão a condição de ter cum... Ver mais
0
Personalidade e individualidade estão baseadas em aceitação e gratidão, dois sentimentos básicos que nos esvaziam para pensarmos a nós mesmos.
0
À larga

Tem muito filha da mãe zombando
Do baile qu'eu ando levando do mundo
Tem muito filha da mãe zombando
Do banho qu'eu ando tomando do mundo
Não tem na... Ver mais

0
Das motivações íntimas da arte
Ao cabo - ou quase - de todo o dramático esforço para a elucidação da parábola de Dramaoquê?! como representação a um tempo autobiográfica e metafórica da ati... Ver mais
0
© CIA DO AR. AÇÕES EM CULTURA 2017  |   DESENVOLVIDO POR CRIWEB  |   PROGRAMADOR LED LEMOS  |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE