Fruto da primeira visita do autor à capital argentina, essa narrativa traz como novidade no seu trabalho a interação com a fotografia, um de seus hobbies.

O formato de notas avulsas permite ao leitor estabelecer o seu próprio percurso pela narrativa e garante um texto mais leve e fluente para a leitura virtual, onde o internauta tem uma relação mais fragmentária com o conteúdo.

Mais que notas de viagem e menos que ensaio crítico, Mi Buenos Aires querida cria um espaço de reflexão em torno de uma admiração explícita: a do Arnaldo pela cidade portenha.

© CIA DO AR. AÇÕES EM CULTURA 2018  |   DESENVOLVIDO POR CRIWEB  |   PROGRAMADOR LED LEMOS  |   POLÍTICA DE PRIVACIDADE